Nova classe média atrai grandes redes de supermercado para Hortolândia
 
DESENVOLVIMENTO
 
Nova classe média atrai grandes redes de supermercado para Hortolândia
 
Hipermercado Walmart chega para ampliar opções na cidade: investimento de R$ 50 milhões e geração de 250 empregos diretos
 
Por Elisabeth Soares , Hortolândia 30/11/11 10:32
 
 

O aumento da renda e do poder de consumo da população de Hortolândia - fruto das ações da Prefeitura para geração de emprego e renda -, fazem crescer o número de grandes redes de supermercados no município. Nesta terça-feira (29/11), o prefeito Angelo Perugini participou da inauguração do hipermercado Walmart, acompanhado da vice-prefeita e secretária de Governo, Jacyra Souza.   A nova unidade da rede funciona numa área de 4.000 m² , no Shopping Hortolândia. O hipermercado investiu R$ 50 milhões na nova loja e gera 250 empregos diretos.

 

Para o prefeito, a instalação do Walmart atende a demanda da população de Hortolândia que com o aumento do poder aquisitivo passa a consumidor novos produtos e serviços. Nos últimos sete anos, a Prefeitura criou 20.000 novos postos de trabalho com a política de atração de novos empreendimentos. O resultado é o aumento da renda familiar do hortolandense, de R$ 870 para R$ 2.000,00 neste período.

 

“As pessoas consomem mais e querem fazer isso perto das suas casas. Então, o hipermercado oferece acesso a uma variedade de produtos, com ótima qualidade, sem a população ter que sair da cidade. É um ganho também porque haverá uma concorrência saudável entre os supermercados, o que garante melhores preços ao consumidor”, valorizou o prefeito.

 

Esta é a segunda grande rede de supermercados que se instala em Hortolândia nos últimos 11 meses. Em dezembro do ano passado, o Atacadão Arena, do Grupo São Vicente, instalou uma unidade que funciona na região do Jardim Amanda. Agora, constrói o Supermercado São Vicente, próximo ao shopping, na região Central, de olho no mercado de varejo. Outras grandes redes supermercadistas sondam Hortolândia para ampliar negócios, segundo a Secretaria de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo.

 

Os novos estabelecimentos do ramo supermercadista engrossam o leque de opções que o consumidor de Hortolândia passou a ter, nos últimos anos, com a instalação de novos estabelecimentos do setor e ampliação de redes que já estão na cidade. Recentemente, a rede Good Bom ampliou a loja e conquistou o status de Hipermercado. A rede Unimais, antiga na cidade, também amplia o grupo de lojas e estuda estender negócios para duas outras regiões da cidade. Os moradores ainda podem escolher fazer compras na rede Dia%, Smart e Paulistão, sem contar os pequenos supermercados que existem nos bairros.

 

A expansão do setor na cidade é estimulada pelo alto crescimento econômico registrado na cidade, nos últimos sete anos. Quem afirma é o secretário de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo, Marcelo Borges. Nesse período, exemplifica o secretário, o PIB (Produto Interno Bruto) saltou de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,8 bilhões. O parque industrial cresceu mais de 80% e o comércio mais de 60%. O índice de desemprego caiu de 17,2% da PEA (População Economicamente Ativa) para uma média de 4%.

 

“A economia de Hortolândia cresce a passos largos. Há uma melhora significante no poder de consumo das pessoas, fruto da política eficiente de geração de emprego e renda iniciada em 2005. Hoje, a cidade é cobiçada por investidores de vários segmentos para fazer negócios. O setor de supermercados é um deles e tende a crescer ainda mais. É uma conquista porque as pessoas podem consumir dentro da cidade os produtos e serviços oferecidos por essas grandes redes. Antes, tinham que ir para cidades da região”, afirma Borges.

 

 ACESSO A BENS DE CONSUMO

 

A família da empregada doméstica Maria Conceição Freitas é um exemplo de grupo familiar que migrou da base para o miolo da pirâmide das classes sociais, nos últimos anos, em Hortolândia. Em 2006, a renda familiar de Maria era de um salário mínimo, fruto do seu trabalho. Hoje, com os três filhos e o marido empregados, a família Freitas tem uma renda mensal de pouco mais de R$ 2.000,00.

 

O grupo melhorou de vida e começou a usufruir de vários confortos típicos de classe média. “Terminamos de construir nossa casa, compramos móveis novos, financiamos um carro e, agora, queremos comprar uma televisão daquelas de tela grande e bem fininha, por isso estou aqui, hoje. Vim aproveitar as promoções”, comentou a moradora da região do Jardim Novo Ângulo, que está em Hortolândia há 25 anos.

 

Rede se adequa ao novo perfil de consumidor e cuida do meio ambiente

 

De olho no aumento do poder de consumo de habitantes de cidades do interior paulista, a rede Walmart investe na instalação de lojas com formatos menores, criadas exatamente para atender cidades com mais de 100.000 habitantes, que estão em pleno desenvolvimento, caso de Hortolândia.

 

De acordo com o vice-presidente de hipermercados, José Osvaldo Leivas, a loja de 4.000 metros quadrados disponibiliza produtos alimentícios, eletrodomésticos, bazar e confecção. “Tudo com a mais alta qualidade encontrada em qualquer loja da rede Walmart e com   preço baixo todo dia”, observou.

 

Para colocar o hipermercado em funcionamento, foram contratados 240 funcionários. A loja atenderá de segunda a sábado, das 8h às 23h, e aos domingos das 8h às 22h. Segundo o diretor da loja, Sérgio Ricardo Costa, 65.000 itens estão à disposição dos consumidores. A expectativa é que de 4.000 a 5000 consumidores visitem a loja por dia.

 

A unidade do Walmart em Hortolândia funciona com preocupação em proteger o meio ambiente. Entre as ações sustentáveis estão economia de energia através do uso de lâmpadas eficientes, instalação de uma central de resíduos para operação da loja e estação de reciclagem para clientes, além de bicicletário para incentivar o uso do transporte alternativo e limpo. É que o grupo chama de loja ecoeficiente.

 

Sobre a rede Walmart

 

O Walmart chegou ao Brasil em 1995. A rede é composta por 500 lojas instaladas em 18 estados e no Distrito Federal. As unidades são montadas em diversos formatos, conforme o perfil do consumidor local: hipermercados, supermercados, clubes de compra, lojas de atacado e de vizinhança.

 

Em 2010, a rede faturou R$ 22,3 bilhões no Brasil e encerrou o ano com um quadro de 87.000 funcionários. Neste ano, o grupo pretende fechar o ano com a abertura de cerca de 80 novas lojas, que resultarão na criação de 700 empregos diretos e outros 20.000 indiretos.

 

O Walmart nasceu nos Estados Unidos, em 1962, sob o comando do empresário Sam Walton. Se transformou em uma empresa internacional em 1991, quando abriu o primeiro Sam´s Club perto da cidade do México.

Atualmente, a rede tem mais de 9.700 lojas, de 69 bandeiras, em 28 países. Emprega 2,1 milhões de pessoas no planeta e faturou US$ 419 bilhões no mundo, ano passado.

 
  Últimas notícias
  Untitled Document